Trilha no Parque Nacional Peneda-Gerês

Olá!

Mais um capítulo da minha viagem ao norte de Portugal foi a trilha que fiz no Parque Nacional Peneda-Gerês. Este parque é muito grande, existem diversas trilhas lá e, como eu estava hospedada em Porto, não deu para conhecer o parque inteiro.

Optei pela trilha Fojo da Portela da Fairra. É uma trilha curta (6 km e mais ou menos 3 horas de duração) e de dificuldade fácil. Ela também é bem sinalizada e você percebe logo se não estiver seguindo pelo caminho previsto. Algo que facilita a jornada é o fato da trilha ser circular, então não é preciso voltar tudo no final e você aproveita diferentes vistas durante todo o passeio. Mais uma vantagem foi a ausência de turistas por lá. Eu tive o lugar todo só para mim!

A trilha se inicia na aldeia de Parada. Uma aldeia pequena, que nos faz viajar no tempo. É possível escutar os animais ao longe e os moradores me olharam com muitos pontos de interrogação na expressão facial (o que ela está fazendo aqui?). Lugar muito pacato!

20170524_170650[1]

Aldeia de Parada

No dia que fui estava muito calor e quase não havia sombra durante a subida. O início foi, por isso, bem cansativo. Porém, as paisagens valiam muito a pena! Além da aldeia, a outra principal atração é uma antiga armadilha para lobos (o fojo de cabrita). Trata-se de uma área cercada por um muro de pedra, para onde os caçadores atraíam os lobos ibéricos e, uma vez presos dentro da armadilha, eles eram mortos pelos caçadores.

Aqui abaixo está uma foto de um fojo de cabrita. Não é a da trilha que fiz, pois não consegui encontrar a foto que eu mesma tirei.

dsc09722

Foto retirada do Google

No final, é possível apreciar a Albufeira da Barragem de Paradela. A foto está logo abaixo:

20170524_162456[1]

A trilha foi bem cansativa, não pelo esforço físico, mas por causa do calor que estava fazendo no dia. Mesmo bebendo muita água, a falta de sombra tornou a caminhada bem mais exaustiva. Entretanto, tudo valeu muito a pena! Foi uma aventura bem divertida e eu espero ter a oportunidade de fazer outras trilhas neste parque incrível!

Auf Wiedersehen,

Livia.

Anúncios

Braga e Guimarães

Olá!

Depois de muito passear em Porto nos primeiros dias,  nós alugamos um carro e nossa primeira road trip foi até Braga e Guimarães, duas cidades não muito distantes.

Uma informação importante sobre as auto-estradas em Portugal (que por sinal, são super modernas) é que elas são pagas. Existem diferentes formas de pagamento e nós acertamos tudo logo ao pegar o carro. As estradas nacionais, no entanto, são livres, mas esta opção torna a viagem bem mais longa. Nós preferimos ir pelas autoestradas pagas e voltar pelas livres, assim dá pra conhecer um pouco melhor do interior do país e economizar um pouco nos gastos.

Viajamos primeiramente até Braga, uma cidade relativamente grande e com muitos estudantes. Passeamos um pouco por lá, vimos as principais praças e pontos turísticos, e já partimos para Guimarães, uma de minhas cidades preferidas até o momento!

Aqui estão algumas fotos que tirei em Braga:

20170518_133524

20170518_143303

20170518_142221

Guimarães é conhecida por ser a primeira capital de Portugal, onde o primeiro rei português nasceu. Cidade muito antiga, as principais atrações são o Palácio dos Duques de Bragança e o Castelo de Guimarães. Coincidentemente passamos por lá no dia internacional do museu e nossa entrada no Palácio foi de graça.

Depois de muito “turistar”, lanchamos numa praça super charmosa. A cidade simplesmente me encantou! Vejam algumas fotos de lá:

20170518_170719

20170518_175423

Para mais fotos é só dar uma olhada no meu instagram! 🙂

Nos próximos dias vou contar um pouco das seguintes road trips que fizemos explorando o norte de Portugal! Espero que gostem.

Auf Wiedersehen,

Livia.

Londres

Imagem retirada do google

“Londres é um universo paralelo, não é?! Faz Hamburgo parecer uma aldeia!” Comentário de uma amiga minha para mim no facebook.

Ela descreveu muito bem a cidade e como eu me senti lá, por isso quis copiar a frase dela aqui.

Quem leu o último texto sabe que no último fim de semana eu peguei um ônibus até Londres. Foram duas horas de viagem. Encontrei com um amigo que lá mora e, como eu só tinha um dia para aproveitar a cidade, ele me mostrou todos os pontos “mais óbvios” e no centro da cidade.

O tempo estava muito agradável e não choveu em nenhum momento. Então, para evitar ficar viajando por baixo da terra com o metrô, decidimos não pagar por transporte público e fazer todo o percurso a pé. Ou seja, nós andamos o dia inteiro, das 10:30 às 20:00, e percorremos mais de 15km pela cidade. Nunca havia andado tanto na minha vida, mas valeu muito a pena.

Todos os principais pontos turísticos são deslumbrantes e a cidade é bizarramente limpa. Porém, é também muito lotada. O centro é abarrotado de gente de todo o mundo. O que me incomodou muito não foi nem a quantidade de turistas em si, mas a quantidade de grupos seguindo aqueles guias com plaquinhas. Essas turmas tumultavam demais as ruas e impediam os turistas “normais” de passar. Não sei como Londres é no período de baixa temporada, mas acredito que seja um pouco melhor. Dessa vez eu não pude escolher, mas a próxima vez que viajar pra lá, irei nos meses mais calmos.

O segundo aspecto da cidade que me incomodou foi o barulho, que é quase tão ruim quanto o do Rio. Eu não esperava que Londres fosse ter tantos ônibus rodando nas ruas. Também há ainda muitos carros no centro da cidade, quase não se via bicicletas. Definitivamente não é ainda uma cidade segura para pedaladas, principalmente para nós, turistas, que não estamos acostumados com o trânsito invertido da Inglaterra.

Resumindo em uma palavra, o dia foi maravilhoso. Eu recomendo muito quem quiser visitar Londres, que leve um bom tênis de caminhada e ande por tudo! É muito melhor do que usar o metrô e ficar sem ver nada debaixo da terra.

[TAG] Brasileiros pelo mundo

Olá!

Eu vi esta Tag pelo mundo dos vlogs e resolvi escrever eu mesma as minhas respostas também. Ela foi criada pelo canal Alemanizando. O Canal Partiu Hamburg também respondeu a Tag, e está bem interessante, com algumas respostas bem diferentes das minhas 🙂

Dedico esta Tag a todos que têm curiosidade de conhecer Hamburgo e precisam de algumas dicas boas.

1. Qual sua cidade?

Hamburgo, Alemanha.

2. Atração turística favorita.

Existem várias. O lago formado pelo rio Alster, bem no meio da cidade, foi onde fiz os primeiros passeios quando cheguei na cidade. Por isso ele tem um lugarzinho especial no meu coração! A caminhada pode levar mais de uma hora, mas o trajeto também pode ser feito de bicicleta.

Alster

3. Local que turistas não costumam ir por ser fora da rota tradicional, mas deveriam conhecer.

O cemitério Ohlsdorf não é muito popular, apesar de ser o maior cemitério-jardim do mundo.

Ai, Lívia! Um cemitério? Sim! O lugar não tem nada de sinistro ou medonho. Há um parque gigantesco onde você pode passear, além de ser uma área histórica (o cemitério existe desde 1877). Não é muito longe do centro da cidade, e há uma estação de U-Bahn bem pertinho.

4. Uma atração turistica popular, mas que você não recomenda.

Não queria ser a chata que recomenda um cemitério, e que não gosta da rua das festas e bebedeiras, mas eu realmente não curto a Reeperbahn (ou o Kiez, como é também conhecido). Esta é a área onde você vai se quer dançar e beber a noite toda, e onde fica o red light district. Também é a área que tem um permanente mau cheiro de cigarro, onde pessoas bêbadas caem na porrada, esbarram em você, derrubam bebida no chão, urinam no chão… Enfim, não é mesmo a minha praia.

5. Comidas e bebidas tradicionais imperdíveis.

Comidas: Pães, pães e pães! De todos os tipos e cores que você puder imaginar. Aqui em Hamburgo tem um bem tradicional que se chama Franzbrötchen, que é docinho, feito com manteiga e canela. Uma delícia!

Bebidas: eu não queria falar das cervejas da região, o que é o mais óbvio. Não só aqui em Hamburgo, mas também em outras regiões da Alemanha, você encontra suco de maçã fresquinho e natural. Eu nunca fui de tomar suco de maçã no Brasil, mas aqui eu costumo comprar de vez em quando. Apesar de eu nem gostar, aqui também se toma muito refrigerante de maçã (Apfelschorle).

6. O que fazer em um dia chuvoso ou de clima ruim.

Não são poucos os dias chuvosos e frios. Se dá vontade de sair, eu saio mesmo assim! Na maior parte das vezes, entretanto, a boa e chamar os amigos para jogar alguma coisa ou assistir a um filme.

7. Evento ou festival favorito.

Já falei sobre ele no texto sobre o Natal. Meu evento favorito é o Weihnachtsmarkt. É só clicar aqui para entender o que é.

8. Lugar para fazer compras.

Estação Mönckebergstraße te deixa em um ponto estratégico da cidade. Você vai estar pertinho de muitas lojas de preços variados, assim como da supermegaultra loja de eletrônicos Saturn. Mas se a preferência for sair um pouquinho do centro da cidade, é só ir até a estação Mundsburg, onde há um “shopping center” bem nos moldes brasileiros (com cinema, praça de alimentação etc.).

9. Lugar que você menos gosta.

Hamburgo é uma cidade que está permanentemente em obra. Isso é ótimo, porque assim a cidade melhora cada vez mais a sua infra-estrutura. Entretanto, as ruas interditadas, o barulho e a poeira incomodam de vez em quando. Por isso eu costumo evitar as áreas em obra.

10. Você recomenda turismo na cidade?

Claro! Está mais que na hora dos brasileiros mudarem um pouquinho a rota “Berlim-Munique” e conhecer mais de Hamburgo. É possível fazer Berlim-Hamburgo de ônibus em 3 horas por somente 10 Euros, fica a dica!

11. Dicas quentes!

Todas as dicas que dei acima já são quentes e talvez seja possível encontrar mais algumas pelo meu blog.

Bom, por hoje é só! Gostei muito desta Tag e adoraria ver outras pessoas de diferentes países a fazendo também. Quero ver as dicas que vocês têm a dar 🙂

Até mais!