Primavera… ou seria a primeira vez?

Olá!

Este é mais um texto da série: como é divertido ser professora de Português para estrangeiros.

Desta vez estrelando uma aluna particular alemã que, num exercício de leitura, confundiu “a primeira vez” com “primavera”. Simplesmente porque lendo rápido as palavras são muito similares, segundo ela.

Eu nunca tinha feito esta relação antes e no primeiro momento nem entendi o porquê do erro.  Assim, este foi mais um caso de como meus alunos estrangeiros percebem o Português de uma forma às vezes completamente diferente da minha.

Se você gostou deste texto, eu já contei um caso parecido (aqui).

Auf Wiedersehen,

Livia.

Almoço de formatura na mesa premiada

Olá!

Esta é talvez a primeira história que conto que não se passa na Alemanha, mas ela é boa! Foi no dia da minha colação de grau lá no Brasil. Depois da simples e rápida cerimônia, meus amigos e eu fomos comemorar o fim da graduação num restaurante meio caro para os padrões estudantis. Tínhamos um motivo bom para gastar um dinheirinho a mais, né?

Sentamos na mesa, formávamos um grupo de cinco ou seis pessoas. O restaurante tinha uma decoração retrô, tipo anos 1950. Comemos, rimos, conversamos… foi a última vez que vi boa parte daquele pessoal.

Quando todos estávamos satisfeitos, pedimos a conta. O garçom a trouxe e, ao invés de um exorbitante valor, apenas a mensagem de que nós havíamos nos sentado na mesa premiada e, por isso, o almoço sairia de graça. Além disso, tínhamos o direito de pedir uma sobremesa antes de ir embora! Acontece que naquele dia o restaurante fazia aniversário e eles inventaram essa promoção.

Eu não tenho lá muita sorte com essas coisas, com certeza foi algum “pé-quente” do grupo. Nós ficamos radiantes! Sempre que eu me lembro do dia da colação de grau, penso no almoço da mesa premiada.

Auf Wiedersehen,

Livia.

Que horas são?

Olá!

Hoje trago mais uma história que aconteceu durante a aula de Português.

O tema da aula era “as horas”. Passamos quase 90 minutos falando sobre horas: a que horas você vai dormir, a que horas você se levanta etc.

Nos últimos minutos, quando já estávamos decidindo qual seria a tarefa de casa, olhamos para o relógio da parede e ele havia parado de funcionar. Sim, o relógio da sala quebrou durante a aula! Os ponteiros estavam acelerados como se o tempo estivesse passando rápido… muito estranho!

Ficou como uma piada pronta para a turma, pois o relógio foi quebrar justamente no dia e no momento em que estávamos falando sobre as horas.

Para mais um texto com o tema “aula de português”, você pode clicar aqui.

Auf Wiedersehen,

Livia.

Como conheci meu lugar preferido do mundo (até agora)

Olá!

Minha primeira viagem sozinha como Au pair foi para Portugal. Eu fiz essa viagem com uma outra Au pair que morava na mesma rua que eu. Não tínhamos muito dinheiro para gastar, então organizamos tudo de uma forma que saísse muito barato e por isso a jornada foi longa: fizemos uma viagem de ônibus até Düsseldorf que durou aproximadamente 5 horas, de lá um trem até o aeroporto e por fim o vôo até a cidade de Porto.

Chegamos no aeroporto de Porto lá pela meia noite, ainda pegamos o metrô até o hostel. Subindo as escadas da estação, já perto da uma da manhã, estávamos as duas mal humoradas e querendo chegar logo e dormir.

Foi então que pisamos no centro da cidade, olhamos ao redor e começamos a rir. Nosso humor mudou completamente ao nos depararmos com a seguinte vista:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Imagem retirada do google.

Resumindo, Porto se tornou naquele momento o meu lugar preferido do mundo (até agora)! A cidade é linda e eu adorei a atmosfera de lá.

E você? Tem algum lugar favorito do mundo? Qual?

Auf Wiedersehen,

Livia.

Dicas para aprender um novo idioma

carreiras-idiomas-noticias

imagem retirada do Google

Olá

Eu sou professora de inglês e português para estrangeiros na Alemanha e, além disso, aprendi alemão do zero nos últimos três anos. Meu objetivo hoje é dar algumas dicas para quem vai aprender um idioma estrangeiro me baseando nas minhas experiências como aluna e professora.

1) Calma. Paciência.

Tenho muitos alunos que amam o idioma Português e querem aprender tudo de uma vez em um mês, de preferência. Estes são os mesmos que acabam desistindo algumas semanas depois. Coincidência?

Pense que você demorou uma vida inteira para aprender a sua língua nativa e mesmo assim não conhece algumas palavras complicadas. Entenda que aprender outro idioma também leva tempo. Você vai começar com o básico do básico e vai precisar investir muitos meses e até mesmo anos nessa empreitada, então paciência!

2) Uma hora e meia por semana…

não é o suficiente! Somente as aulas não vão te tornar o mestre super fluente. Você precisa sentar em casa e fazer as tarefas do curso. Além disso, assistir filmes, ler livros e falar sozinho no idioma em questão também ajudam a aperfeiçoar a língua. Quanto mais tempo em contato com o idioma, mais rápido você aprende. Por isso intercâmbios constumam ser ótimas opções para quem tem tempo e dinheiro.

3) Não tentar entender palavra por palavra.

Vou começar a explicar essa última dica com o exemplo do pior tipo de aluno (eu infelizmente tenho alguns destes volta e meia nas minhas turmas de inglês). Pessoas que lêem um texto ou veem um filme legendado e prestam atenção em palavra por palavra, ignorando completamente o conjunto da obra. A cada palavra nova, uma pausa. Claro que no final das contas eles não entendem nada, mesmo que o texto seja apropriado para o nível deles. Por isso, minha dica aqui é separar o estudo de vocabulário do estudo de interpretação de texto/filme assim:

Se a aula é sobre vocabulário, então a tarefa é sentar e aprender as palavras novas. É uma ótima ideia criar metas para si mesmo, como por exemplo 5 palavras novas por dia. O desafio é sempre utilizar o novo vocabulário para que ele não seja esquecido novamente.

Entretanto, se a aula for de interpretação de texto/filme, esqueça as palavras que você não entendeu! Isso não significa que você não é capaz de compreender o texto ou o filme em questão. A tarefa aqui será analisar o contexto e a partir dele compreender a mensagem final.

Para concluir: É preciso muita paciência e muito contato com a língua para que consigamos aprender o novo idioma de forma eficiente. Além disso, não se pode ter medo das novas palavras, pois elas vão aparecer a todo momento!

Espero ter ajudado alguém! 🙂 Faltou alguma dica por aqui? Quais foram as suas estratégias para aprender um segundo idioma?

Auf Wiedersehen,

Livia.

Universidade na Alemanha, o que mudou?

                  csm_campus-bt-building3-komp_73689704ab

                                                           HAW – Imagem retirada do google

Olá!

O meu primeiro semestre na Universidade está acabando e já estou me preparando todos os dias para os exames que estão por vir. Com esse clima de virada do ano de retrospectivas e planos, comecei a refletir sobre tudo que mudou na minha vida depois que comecei a estudar.

Quando recebi a carta de aceite de Universidade, a minha maior preocupação era se eu ia conseguir “sobreviver” num curso completamente em alemão. Serviço Social é um curso com pouquíssimos estrangeiros na Universidade onde estudo. Além disso, apesar de ter passado na prova de proficiência, eu ainda não me sentia segura com o meu nível do idioma.

Toda essa preocupação desapareceu muito rápido logo nas primeiras semanas de estudo. Claro que ler textos de Sociologia e Filosofia foi bem complicado, mas essa foi uma tarefa difícil para todos, não só para mim por não ser falante nativa. Não me senti excluída pelos outros estudantes e, mesmo eu sendo super tímida, consegui fazer contatos lá dentro que me ajudaram a me situar nas aulas e estão me ajudando agora na preparação para os exames.

Com essa rotina intensa de estudos, minhas habilidades com o idioma alemão melhoraram muito! Hoje posso dizer com segurança que consigo ler textos complexos com muito mais facilidade, sou capaz de expor minhas opiniões sem medo de cometer erros e escrevo textos com pouquíssimos erros gramaticais de uma só vez, sem precisar ficar revisando.

Ademais, essa melhora refletiu também no meu trabalho. Com as turmas de Português iniciantes, por exemplo, eu agora tenho muito mais confiança em explicar as matérias em alemão. Isso faz com que eu me aproxime mais dos meus alunos e torne as aulas mais divertidas. Deste modo, estudar não está sendo bom apenas para que eu tenha chances de ter um emprego melhor no futuro, mas também está se revelando uma ferramenta fundamental na minha integração.

Auf Wiedersehen,

Livia.

Primeira apresentação

Olá!

Eu sempre odiei fazer apresentações na escola e na faculdade. Sou muito tímida e por mais que eu me prepare muito bem, toda a ansiedade e o nervosismo antes e durante o trabalho acabam comigo.

Como voltei a estudar este semestre, já estava claro que em alguma hora eu teria que me apresentar novamente. No caso, tive que preparar uma breve apresentação para esta semana. Ela acontecia na quinta-feira e era em dupla (uma outra estudante e eu). “Nada demais”, cada uma iria falar apenas cinco minutinhos.

Chegou o dia antes da apresentação. Preparei todos os cartões com as frases mais importantes, pratiquei várias vezes e já estava super nervosa. Até acordei no meio da noite pensando no que estava por vir.

Na manhã seguinte, a primeira coisa que fiz foi abrir o e-mail da faculdade para ler as novidades e para minha surpresa havia uma mensagem da professora nos avisando que o seminário teria que ser cancelado e, por causa da correria de fim de ano, nossa apresentação também teria que ser permanentemente cancelada.

Li e reli a mensagem, escrevi para a outra menina do grupo e sim, era real. Eu não ia precisar me apresentar. Que alívio, não sabia nem o que dizer. 

Mas este sentimento está durando pouco, porque na próxima semana terei uma apresentação em grupo para fazer. A que seria minha “segunda apresentação” agora será a primeira. Me desejem sorte!

E vocês? Também têm problemas com apresentações? Comentem aqui!

Auf Wiedersehen,

Lívia

15 anos atrás

Olá

Hoje o texto é em homenagem ao dia das crianças. Por isso, será um pouco pessoal. Decidir escrever uma carta para a minha versão de 15 anos atrás, para a Livia de 10 anos de idade. Sempre quis fazer isso e acho que este é um ótimo momento. Então, lá vai!

Olá Livia,

Esta sou você quinze anos no futuro. Você está aí começando o ginásio numa escola nova e não fez muitos amigos. Na verdade, você só vai fazer amizade na escola no Ensino Médio, então paciência. No prédio novo, porém, você vai conhecer três meninas que serão suas amigas por todos esses anos. Assim, você nem vai sentir falta de ter alguém na escola! Já lá no Ensino Médio, sua melhor amiga será uma religiosa fanática que vai ficar tentando te converter, mas por algum motivo você vai gostar muito dela. Mesmo assim você nunca irá à igreja. E mais: aqui no futuro ela é lésbica e critica os valores que pregava na adolescência. Talvez por isso ela tenha se tornado ainda mais sua amiga. Pode acreditar!

Eu também sei que você está começando a se interessar por História. Saiba que você vai estudar essa materia na Federal e conseguir até um diploma.

Daqui há uns 10 anos você vai começar a fazer capoeira. O skate vai deixar suas pernas resistentes, mas vá treinando esses chutes também.

Você vai brigar muito com seu irmão, isso é normal da idade. Um dia isso vai acabar e ele vai ser um amigão (e vai treinar capoeira com você). Vocês não vão se desgrudar.

Você vai passar muitos anos alisando o cabelo, fazendo chapinha… depois vai voltar ao natural e mais tarde começar a alisar novamente. Aqui no futuro, quando você finalmente resolver assumir os cachos, seu cabelo se tornará naturalmente liso. Isso mesmo, seu cabelo um dia vai ser liso sem chapinha.

Quando você fizer seus 11, 12 anos, vai começar a pensar na possibilidade de se aventurar um dia e morar fora do Brasil. Fazer um intercâmbio ou algo assim. Você vai ter plena consciência de que seus pais nunca conseguirão financiar essa sua aventura (mas não vão deixar de te apoiar imensamente). Por isso, você está certíssima em abrir sua conta poupança e ir juntando cada centavo. As pessoas vão por anos te chamar de mão de vaca, pão dura etc. Mas esse dinheiro vai ser FUNDAMENTAL para a sua viagem. Guarde-o!

Sim, você vai viajar! Vai tentar muitas vezes, antes do Ensino Médio, depois da escola… mas não vai dar certo. Muitos amigos irão viajar de avião antes de você e ter férias incríveis que você nunca terá. Ou pelo menos nunca terá até o final da sua faculdade. Não fique triste, vai valer a pena esperar. Todos as mesadas, e mais tarde salários que você juntou vão financiar seu intercâmbio para a Alemanha. Seu querido pai será quem vai te dar o último empurrão para você seguir seus sonhos.

E então, você vai ver neve e passar muito frio. Vai conhecer outros países e tirar muitas fotos. Vai conhecer pessoas do mundo inteiro. Vai realizar muitos sonhos.

Você vai se casar com 24 anos com o amor da sua vida, que você só conheceu porque atravessou o oceano. Você ainda não tem filhos, não se preocupe.

Você vai começar a usar saias e vestidos, mas só raramente. Você vai continuar sem usar brincos, mesmo com a nossa mãe insistindo. Olha só, nós temos mesmo uma personalidade forte! Na Alemanha você vai se sentir livre, pois as mulheres não são exageradamente vaidosas como no Brasil, nem há uma pressão para ser assim. Na verdade, você vai acabar descobrindo que seu comportamente sempre foi “alemanizado” e por isso sempre foi tão incompreendida no Brasil. Você vai se sentir em casa na sua nova cidade, Hamburgo.

Eu espero que essas notícias tenham te animado. Lembrando desta menina de 10 anos que fui, diria que você está feliz com o que irá construir nos próximos 15 anos. Não será nada fácil e haverão altos e baixos, mas você vai sobreviver. Dê valor a todas as pessoas ao seu redor, pois elas serão as únicas coisas que te farão falta no futuro.

E feliz dia das crianças! 🙂

Um beijo,

Livia.

Os carvalhos anciãos

20161001_163603

Olá!

No último sábado visitei por acaso um parque maravilhoso! Ele está localizado numa área bem deserta (Ivenack), no Estado Mecklenburg-Vorpommern. São mais ou menos três horas de carro aqui de Hamburgo.

Lá estão os carvalhos de Ivenack (Ivenacker Eichen). São árvores antiquíssimas que possuem entre 500 e 1000 anos de idade. A maior e mais famosa delas tem 35.5 metros de altura e é a mais antiga da Alemanha, com cerca de mil anos. Segue uma foto:

20161001_153420

Eu fiquei encantada com os carvalhos. Além disso, o parque em si é enorme e dá para fazer uma boa caminhada por lá. É possível também esbarrar em alguns animais soltos (eu vi algumas renas!).

Para visitar o parque é preciso pagar a entrada que custa 4,00 EUR. Para estudantes é a metade do preço e crianças menores de 12 anos podem entrar gratuitamente. Vale muito a pena ir se você já estiver pela região.

E vocês? Conhecem este parque? Tem outros para indicar? Comentem! 🙂

Auf Wiedersehen,

Lívia.

Primeira semana

Olá!

A semana do dia 12 de Setembro foi a primeira semana na HAW (Universidade de Ciências Aplicadas de Hamburgo). Queria contar um pouquinho da  experiência que tive por aqui.

A primeira semana é chamada de Orientierungswoche, semana de orientação. Para começar, na segunda-feira tivemos uma palestra de boas-vindas. Os duzentos calouros de Serviço Social foram então dividos em grupos. Cada grupo tinha dois tutores, que nada mais eram que alunos veteranos. Eles nos deram a programação da semana e fizeram um tour pelo campus. Mostraram tudo de importante: biblioteca, secretaria, xerox, sala de computadores e bandeijão.

No dia seguinte, pela manhã, tivemos um breve treinamento para casos de incêndio e acidentes. Na parte da tarde, os tutores nos ensinaram como montar o nosso horário de matérias. Eu esperava que o horário viesse já prontinho, já que estamos no primeiro semestre. Entretanto, o sistema nesta faculdade é muito confuso, e na terça-feira tivemos só a introdução de como escolher as matérias.

Quarta-feira: mais socialização. Nos reunimos num parque para tomar o café-da-manhã no estilo piquenique. Tivemos ainda mais tempo para nos conhecer e conversar bastante. Como os calouros ficam a semana toda separados em grupos e com seus respectivos tutores, as nossas oportunidades de conhecer pessoas que não fazem parte do nosso grupo é pequena. Alguns estudantes reclamaram sobre isso, mas eu não achei tão ruim assim.

Quarta à tarde e quinta-feira foram dias muito estressantes. O processo de montar o horário é muito cansativo e desagradável. É complicado explicar, mas um dia eu ainda faço um texto detalhado apenas sobre o assunto. Quinta à noite foi o dia de fazer o churrasco no parque, desta vez com todos os alunos juntos. Eu estava tão cansada e tensa depois de montar minha agenda, que acabei nem participando do evento.

A sexta-feira, por fim, é o dia de aconselhamento para aqueles que não conseguiram entrar em todas as matérias necessárias. Como este não foi o meu caso, eu tive o dia livre.

A primeira impressão foi boa. Estou bastante animada com o início das aulas! Espero em breve ter mais histórias para escrever aqui.

Auf Wiedersehen,
Livia.